domingo, junho 20, 2010

De volta aqui:

domingo, setembro 27, 2009

Mujer Dramatica II, La Missión

Em breve

quinta-feira, julho 09, 2009

sala D

Foi estranho demais ver seu nome na placa do velório.
Eu ainda sou aquela menininha que te admirava cozinhando, ansiosa pelo almoço sempre delicioso que suas mãos cheias de cicatrizes me entregariam.
Ainda mato o tempo no quintal, brincando no meu fogãozinho vermelho, a espera dos seus sabores.
Choro quando você, apressada, não me leva à feira.
E saltei da cama ouvindo sua voz me dizendo: "ah, minha filha, pra morrer basta estar vivo."
Aqui dentro você é imortal.

sábado, julho 04, 2009

Querida

Rasguei uma foto sua que veio numa caixa sem querer.
Com as fotos de criança não consigo, você foi a coisinha que mais amei nesta vida.
Me senti um pouco melhor depois de te jogar, já crescida, rasgada em pedaços no lixo do banheiro.
Nossa última conexão está se desligando num hospital público.
Daqui em diante é com minha advogada.
Obrigada.

refresco pro cérebro

Meu trabalho é isso, a coca com gelo e limão da minha vida.
Música também, um suco de tangerina numa manhã de ressaca.
O rock progressivo me embrulha o estômago.
Debandei desse mundinho há tempos.
Fugi e me escondi embaixo das cobertas pra ouvir Pixies.
Sinto que meus neurônios sofreram um massacre.

domingo, junho 28, 2009

Polliana mulher

Essa história de me sentir tia é só histórinha pra escrever no blog, a verdade é que com tanta merda acontecendo nem dá tempo de ter crise dos 30. Veja só que bom!

terça-feira, junho 23, 2009

hoje

Oficialmente tia: 30 anos e solteira.

segunda-feira, junho 15, 2009

Pensamento de tia moderna:

Na minha época a parada gay era mais família...

sábado, junho 13, 2009

tipo masoquista

Fim de casamento
Praticamente sem casa.
Tudo o que eu precisava agora era da minha avó no hospital...

Paulada na cabeça nunca é demais.
Vai, manda mais que tá gostoso!






sábado, junho 06, 2009

chef de cu é rola

Pulei da cama com um milhão de preocupações do trabalho. 
Ontem voltei pra casa carregando um monte de notas fiscais, planilhas e tabelas e com tudo isso tenho que planejar os custos e criar novos cardápios.
É, acho que deixei de ser só uma cozinheira, infelizmente.
Agora só o que me resta é enfrentar as responsabilidades novas e cobrar por um salário condizente com o novo cargo.